Tucson Mountain Retreat / DUST



O Tucson Mountain Retreat está localizado dentro do Deserto de Sonora; uma extensão de terra extremamente exuberante, exposta e árida que emite uma sensação de quietude e permanência, e contém mistérios de proporções mágicas. A casa é cuidadosamente posicionada em resposta aos arroios adjacentes, rochedos, cactos antigos, caminhos de migração de animais, movimento do ar, exposição ao sol e vistas. Grande esforço foi investido para minimizar o impacto físico da casa em um ambiente tão frágil, ao mesmo tempo em que se tentava criar um lugar que servisse como pano de fundo para a vida e fortalecer as conexões sagradas com a paisagem mística inspiradora.


Isolando intencionalmente o estacionamento a mais de 120 metros da casa, deve-se atravessar e se envolver no deserto caminhando ao longo de uma trilha estreita em direção à casa, passando por uma densa área aglomerada de cactos e Palo Verde que obscurece a vista direta da casa a cada passo progressivo , a casa lentamente se revela, erguendo-se do solo. A sequência de entrada, uma série de passos concretos divertidos e envolventes, se dissolve no deserto. À medida que alguém sobe, cada passo oferece uma decisão alternativa e uma nova aventura. Por meio desse processo, o movimento fica mais lento e os sentidos são estimulados, deixando para trás a agitação da vida na cidade.


O programa da casa está dividido em três zonas distintas e isoladas; vida, sono e gravação de música / entretenimento doméstico. Cada zona deve ser acessada saindo da zona ocupada, saindo e entrando em um espaço diferente. Essa separação resolve a separação acústica desejada pelos clientes e, ao mesmo tempo, oferece uma oportunidade única de experimentar continuamente a paisagem crua do deserto.


Enraizado no deserto, onde a água é sempre escassa, o projeto incorpora um generoso sistema de coleta de água da chuva de 30.000 galões com um sistema de filtragem avançado que torna nosso recurso mais precioso disponível para todos os usos domésticos.


O ganho de calor solar é reduzido orientando a casa de forma linear ao longo de um eixo leste-oeste e minimizando as aberturas de portas e janelas nas fachadas estreitas leste e oeste. Os principais espaços de estar e dormir estendem-se em pátios e abrem-se para o sul sob profundos beirais que permitem vistas inalteradas e acesso ao Deserto de Sonora. As saliências fornecem abrigo contra o sol de verão, enquanto permitem que a luz solar de inverno entre e aqueça passivamente o chão e as paredes. Eles também absorvem as brisas predominantes do sul e aumentam a ventilação cruzada, que pode ser controlada de forma flexível ajustando as portas de vidro deslizantes do chão ao teto. Quando as grandes portas de vidro são totalmente abertas, a casa se transforma, evocando um espírito de ramada sem limites, onde o deserto e o lar se tornam um.


Está casa foi feita com um sistema construtivo chamado taipa de pilão. Trazida para o Brasil pelos portugueses e nada mais é do que um tipo de arquitetura vernacular, ou seja, aquela que faz uso de materiais do próprio ambiente no qual a construção será formada. Sua base leva barro ou argila compactada e cascalhos, sendo disposta de forma a edificar paredes.


A técnica tem sido empregada há anos em diversos países, como EUA e Austrália, uma construção tradicional e, principalmente, eficaz com taipas de pilão deve, de preferência, passar por um eficiente processo de apiloamento, isto é, a compactação de um material, seja manual ou mecanicamente.


Além de sustentável, a taipa de pilão também ganha em eficiência térmica e universalidade, uma vez que é compatível com grande parte das obras.

Com considerável redução de custos. O uso de até 90% de materiais provenientes da própria construção.

A capacidade da taipa de pilão de produzir paredes tão duráveis quanto às de concreto.

A beleza e personalidade que a técnica proporciona à obra, desde que bem aplicada.

O excelente desempenho.

A exclusão de rachaduras ou trincas, visto que a compactação oferece baixa retração às paredes, deixando-as mais sólidas e nada impermeáveis.

Como se não bastassem os ganhos deste sistema construtivo, atualmente a taipa de pilão tornou-se um recurso moderno graças a determinados mecanismos tecnológicos implantados aqui e em outros países para a sua formação. Tal avanço não só contribui com um melhor rendimento da taipa de pilão, como constrói estruturas mais resistentes do que as convencionais.


Escritório: DUST

Ano: 2012

Fotografias: Jeff Goldberg

Fonte: Archdaily



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo